OK









Selecção de Novembro/Dezembro
 
Selecção de Novembro/Dezembro - 6 Garrafas
Produto O nosso Preço
Vinha do Fojo 2001 2 x 39,50 EUR
Crusted Niepoort (Engarrafado 2011) 1 x 17,50 EUR
Druída 2012 2 x 19,00 EUR
Gloria Reynolds Antão Vaz 2012 1 x 14,00 EUR
Totais:   148,50 EUR
Vinha do Fojo 2001

Extraordinária compra, por vários motivos. O mais óbvio de todos: nesta altura do ano, mais do que em qualquer outra, a prioridade é o melhor, disponível, no momento. Sem olhar a custos. Repto demasiado ambicioso? Talvez. Porém, se há quadra em que entendemos que o apreciador ambiciona o melhor, é na grande reunião familiar que se avizinha. Também por isso, já a pensar na noite mágica do Natal, aí está um néctar para levar à mesa na consoada!
Escolha surpreendente? Não tanto como possa parecer. Basta lembrar que, ainda há poucos meses, o vinho de 2000 foi distinguido com 97 pontos, pela Wine Advocate, de Robert Parker. A mais alta pontuação de sempre para um não licoroso nacional! Ora, aqui, passe a imodéstia, também conta o passado no vinho. E, se o elogio "fresh and youthful in most ways... make it clear that this not a gentle antique", proveniente de alguém pouco atreito a néctares mais evoluídos (acreditem, temos prova disso...), suscitou admiração cá no burgo, no nosso caso, serviu apenas para corroborar as nossas impressões sobre os vinhos do Fojo, ali colhidas há uma década. Voltar a provar os diferentes anos daquela vinha (no Fojo não há 1º nem 2º vinho, todos os anos há apenas um vinho da mesma vinha) e... reatar a conversa com Margarida Serôdio Borges. Basta (re)ler o texto da Selecção de Dezembro de 2004 para se perceber o teor da mesma, diferentes opiniões sobre as distintas colheitas. Como, entre tintos de semelhante nível, basta entrar em linha de conta com o preço, para dissipar dúvidas sobre a melhor compra!
Para os mais informados, esta é também a promessa de um regresso ao futuro! Com o vinho de 2013 já em estágio, o regresso do Fojo às prateleiras, numa parceria da proprietária com Rita Marques, será seguramente uma das bombas de 2015.

Características
Região: Douro
Castas: 80% de Tinta Roriz e Tinta Barroca, 7%,Touriga Nacional, 7% Touriga Franca e mistura residual de outras castas tradicionais.
Vinificação: Elaboração em lagares de granito, com controlo de temperatura por intercambiadores de calor que vão de lagar em lagar.
Estágio: Cerca de ano e meio em barricas de carvalho francês novo e semi-novo.
Teor Alcoólico: 14% vol.
Produção: 14 mil garrafas.
Enólogo: Margarida Serôdio Borges
O nosso Preço: 2 x 39,50 EUR

Crusted Niepoort (Engarrafado 2011)

Um Porto à moda antiga! O cabaz natalício não ficaria completo sem um generoso, outra escolha surpreendente para presentear os convivas, no final da consoada. Crusted, como o nome indica, quer dizer vinho com sedimento ou depósito, mas atenção, não confundir com os velhos blends sem rótulo, que apareciam à mesa de gente ligada à produção. Quem conhece o Douro, sabe do que falamos.
Em rigor, o Crusted é, isso sim, uma invenção dos antigos comerciantes britânicos (como o próprio generoso...), que caiu em desuso. Uma forma de obter um estilo Vintage, mas mais depressa e, sobretudo, muito mais barato. "Last but not the least", à boa maneira britânica, recuperando para aquele estilo o verdadeiro espírito do vinho do Porto, nunca será demais lembrar, muito mais um vinho de mistura, de Blend, do que um vinho do ano.
Assim, o que temos aqui é uma mistura de dois possíveis vintages (2007 e 2008) engarrafados após três anos em madeira. Lançado com outros tantos de garrafa e sem ter sido submetido a qualquer colagem ou filtração, é fácil perceber a origem do nome: deriva do depósito ("crust") que acumula no fundo da garrafa, tal qual um vintage clássico, portanto, a pedir decantação. O ano indicado (2011) é o de engarrafamento, sendo quaisquer outras referências a anos de colheita estritamente proibidas.
Dito de outra forma, trata-se de um excelente e poderosíssimo Ruby! Muito mais complexo e potente que um Ruby normal, mas¿¿non-vintage¿! Mais uma raridade que a visão de Dirk Niepoort retirou do esquecimento. Sem lhe retirar potencial de envelhecimento, um generoso prontíssimo a beber, o sócio perceberá de imediato porque foi considerado um dos melhores do ano!

Características
Castas: Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinto Cão, Tinta Francisca, Tinta Amarela, Sousão e Tinta Roriz
Teor Alcoólico: 19,6% vol.
Produção: 8 mil garrafas
Enólogo: Dirk Niepoort
O nosso Preço: 1 x 17,50 EUR

Druída 2012

Ainda fresco na memória, e na blogosfera, o êxito obtido pelo homónimo branco, eis que a dupla Nuno do Ó e João Corrêa volta a surpreender com um Druída tinto. Em estreia nacional no Clube! Quando, muito provavelmente, nem o mais pintado admirador do branco suspeitaria da existência deste...
Não é de estranhar, pois no vinho, como na vida, há episódios marcantes que ocorrem quase por acaso. Muito mais num projeto de dimensão artesanal, como é o caso do Druída, onde o investimento é escasso e o desperdício proibido. Aliás, os autores não têm pejo em reconhecê-lo: feita a prensagem do Encruzado (branco) para as barricas e como sobrassem algumas, saltou de imediato a ideia: e se fizéssemos um tinto? Sim, sobravam barricas, porque não aproveitar também a uva tinta da Quinta da Turquide? Afinal, a hipótese do tinto não punha em causa a aposta inicial num branco distinto. E, se bem o pensaram, melhor o fizeram. Resultado, tal como o tinto bairradino de Nuno do Ó, o Outrora, ganhou um irmão branco (ainda que residual...), o projeto do Dão acrescenta também ao portfolio um tinto vibrante, muito rico e fresco. Ainda que em quantidade tão limitada como o branco da Bairrada...
Um Dão que traduz a particular frescura da zona, muito jovem, elegante, profundo. Notas de cereja, esteva, especiarias, primando pelo equilíbrio e frescura, a mostrar fruto sumarento e compensando largamente em elegância o que lhe possa faltar em concentração. Quase diríamos, um daqueles tintos que apetece beber. Muito mais do que apenas "provar"...!

Características
Castas: Touriga Nacional (80%) e Jaen (20%)
Vinificação: Fermentação em barricas sem tampo, com pisa manual.
Teor Alcoólico: 13,5%
Produção: 500 garrafas
Enólogo: Nuno do Ó e João Corrêa
O nosso Preço: 2 x 19,00 EUR

Gloria Reynolds Antão Vaz 2012

Simplificando, a escolha deste Antão Vaz não anda longe do motivo que, há precisamente 10 anos, nos impeliu a subir uma ladeira de vinhedos bordados, a perder vista, por flores de alfazema. Inquirindo pelo proprietário daquela beleza, na zona de Arronches, acabamos por conhecer e dar as boas vindas a um recém instalado Julián Cuellar Reynolds. Satisfeita a curiosidade do proprietário sobre o mercado nacional, para o que interessa, o primeiro vinho da marca que pretendia lançar (ver Seleção de Março de 2005), confirmou tudo o que ali procurávamos: a frescura, o microclima da Serra de São Mamede.
Motivo igualmente válido para a seleção deste monovarietal Antão Vaz. Casta de clima quente, ainda que exibindo elevados padrões de resistência à seca e ao clima do Alentejo, confronta-se na planície com alguma falta de acidez. Leia-se, frescura. Por isso, na grande planície, é tantas vezes loteada com Roupeiro e/ou Arinto, garantes de uma acidez mais aguçada. Porque o corpo, estrutura e firmeza de um Antão Vaz extreme, com frescura natural capaz de lhe aguentar o grau, regra geral elevado, só em locais muito específicos. E quando assim é, justifica a escolha: este é um branco estruturado, longo, com boas notas minerais. Grande expressão aromática, típica da casta, com frutas tropicais como banana e lima, envoltas numa peculiar sugestão de pólvora. Um branco encorpado, com estrutura para enfrentar o Inverno!

Características
Castas: Antão Vaz
Estágio: 8 meses em barricas novas de carvalho francês, com battônage semanal.
Teor Alcoólico: 13,5 %
Enólogo: Nelson Martins
Informação: Provenientes de um dos vinhedos mais elevados da região (400m), as uvas foram prensadas em prensa pneumática. Fermentação durante 30 dias em barricas novas de carvalho francês a uma temperatura de 15 ºC. Posteriormente foi mantido 1 mês a 6 ºC, em cuba de inox, sendo depois engarrafado.
O nosso Preço: 1 x 14,00 EUR


Selecção de Novembro/Dezembro - 6 Garrafas
Produto O nosso Preço
Vinha do Fojo 2001 2 x 39,50 EUR
Crusted Niepoort (Engarrafado 2011) 1 x 17,50 EUR
Druída 2012 2 x 19,00 EUR
Gloria Reynolds Antão Vaz 2012 1 x 14,00 EUR
Totais:   148,50 EUR
 
 
          Mais 36 vinhos
Vale de Pios 2008

Casa Castillo Pie Franco 2005

L' Autentica 2005 - 50 cl

Abafado Molecular Tinto 2009 - 50cl

Quinta do Francês 2007

MOB 2011

Cantina del Notaio La Firma 2005

Alves de Sousa Berço 2011

Paisages VIII La Pasada 2005

Tares P.3 2006

Viña al Lado de la Casa 2005

Luis Pato Bairrada 1988

Partida Bellvisos 2004

Domaine Calvet Thunevin - Les Dentelles 2005

Nelin de Clos Mogador 2004

Oboé Grande Escolha 2001

Aphros Silenus 2009

Calda Bordaleza 2009

Monte da Penha Gerações 2004

12 Volts 2007

Ver todas as ofertas ...
 
Vantagens Vantagens Makeyourcase Clube Winept